Conhecimento e oportunidade Pesquisadores criam empresa que usa pós metálicos para a produção de filtros industriais ;

A perfuração de um poço de petróleo ocorre normalmente através da aplicação de peso e rotação na coluna, cuja extremidade está acoplada a uma broca cortante. Simultaneamente, circula-se fluido de perfuração pelo interior do poço, de acordo com o seguinte caminho: o fluido é injetado pelo interior da coluna, atravessa os jatos existentes na broca e retorna pelo espaço anular formado pelas paredes do poço e a coluna de perfuração.

Uma das funções básicas do fluido de perfuração é exercer pressão hidrostática sobre as formações permeáveis, de modo a evitar a invasão de fluidos da formação para o poço durante uma operação de perfuração. O fluido de perfuração é um componente fundamental na construção de um poço de petróleo e deve apresentar as seguintes características, além da citada anteriormente (Thomaz, 2001): 23 a 26 de outubro de 2011 Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Universidade Severino Sombra Vassouras – RJ, não causar dano às formações produtoras; ser bombeável, apresentar custo compatível com a operação, estabilizar as paredes do poço, mecânica e quimicamente; manter os sólidos em suspensão quando estiver em repouso; facilitar a separação dos sólidos gerados pela broca (cascalho) em superfície e facilitar as interpretações geológicas do material retirado do poço; Manter a integridade física do poço evitando um possível desmoronamento da formação, especialmente as mais friáveis; Limpar o fundo do poço, trazendo de volta à superfície os sólidos gerados pela broca (cascalho); Resfriar a broca e lubrificar a coluna
de perfuração. Durante uma operação de perfuração as propriedades do fluido devem ser constantemente monitoradas a fim de garantir o cumprimento de suas funções. As propriedades físicas mais importantes e freqüentemente medidas nas sondas de perfuração são a densidade, os parâmetros reológicos, os parâmetros de filtração e o teor de sólidos.

Diferentes tipos de fluidos são utilizados para diversas fases da perfuração de um poço de petróleo. Durante a fase de perfuração da rocha reservatório, são utilizados fluidos chamados drill – in, constituídos por soluções poliméricas com uma determinada concentração de sólidos tamponadores (agentes obturantes). A técnica de perfuração convencional consiste em manter as pressões no poço sempre superiores às pressões na rocha reservatório de modo a evitar influxos de fluidos nativos para dentro do poço. Tais influxos acarretariam sérios problemas de segurança. Devido ao diferencial de pressão positivo entre o poço e a formação porosa ocorrerá a filtração do fluido pela mesma, formando uma torta de filtração de baixa permeabilidade na parede do poço enquanto que a fase líquida do fluido invadirá o reservatório.


O entendimento dos processos de filtração do fluido de perfuração e sua influência nos mecanismos de formação da torta de filtração e dano à formação têm atraído interesse contínuo na engenharia de petróleo. O controle da filtração tem um considerável impacto nos custos das operações de perfuração e na produtividade do poço. A avaliação das propriedades filtrantes de fluido de perfuração é normalmente realizada em laboratório através de testes de filtração estática padronizados. Nestes ensaios, um volume fixo de fluido é posicionado sobre um meio poroso (papel de filtro, cerâmica ou aço sinterizado), que possui uma única permeabilidade, e submetido a um diferencial de pressão constante pré estabelecido. O volume de fluido que atravessa o meio poroso é monitorado ao longo do tempo. A Figura 1 ilustra o aparato experimental. Veja a publicação completa